"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...

Ou toca, ou não toca." (Clarice Lispector)
"Eu me recuso a ser sócio de qualquer clube que me aceite como sócio." (Grouxo Marx)
"Repara bem no que não digo." (Leminski)
"Meu epitáfio será: Nunca foi um bom exemplo, mas era gente boa" (Rita Lee)

I am not but I am

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
essa metamorfose ambulante...

sábado, 14 de junho de 2014

Moitas

Há alguns dias li um livro de autoria de Sophie Calle, intitulado "Histórias Reais", nele ela conta brevemente reminiscências da própria vida. Me tocou. Tentarei reproduzir alguns fatos de minha vida da mesma forma. Lá vai:

Lembro de que desde que me entendo por gente gosto de pessoas sem discriminação de gênero. Cerca de aos 4/5 anos de idade, fui apaixonada por uma amiga e por amigo, ambos do jardim de infância.
Eu costumava sonhar com a minha amiga, Tabatha, era como ela se chamava. E também com o meu amigo, de nome Yohan.
Certo dia, após o fim da aula, Yohan e eu saímos escondidos da escola e fomos para o parquinho que havia nos fundos, ficamos entre as moitas. Depois desse dia não lembro de tê-lo visto novamente.