"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...

Ou toca, ou não toca." (Clarice Lispector)
"Eu me recuso a ser sócio de qualquer clube que me aceite como sócio." (Grouxo Marx)
"Repara bem no que não digo." (Leminski)
"Meu epitáfio será: Nunca foi um bom exemplo, mas era gente boa" (Rita Lee)

I am not but I am

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
essa metamorfose ambulante...

terça-feira, 15 de junho de 2010

Monte de Merda


  Divisões, para que? Dividem-se, dividem-se e dividem-se novamente, e aí subdividem-se, e de novo e de novo... Para que o ser humano cria tantas etapas, tantos critérios, características, grupos, para que denotam tantas disparidades? Por que o ser humano, tão burro e cheio de si, quer a qualquer custo ser o melhor?
  O homem se preocupa demais com coisas supérfluas e materiais, e não dá a menor atenção ao que há de mais importante. De que adianta ter uma excelente escolaridade, um ótimo emprego, um salário estupendo, ser lindo, charmoso e gostoso, enfim, ter uma vida literalmente foda e ser uma pessoa vazia, estúpida, hipócrita? Alguém, pior que pobre, miserável de alma? Completamente desprovido da capacidade de sentir e viver?
  Essas pessoas sabem que são assim? Elas têm ciência de sua incapacidade? De que são vazias e frouxas? Se sabem, como conseguem não ter nojo de si e viver todos os dias como se estivesse tudo bem, tudo maravilhosamente excelente? Como conseguem continuar vivendo suas vidinhas fúteis de maneira ainda leviana?
  Como ser e fazer por fazer, perceber, e não mudar? Como deixar-se afundar na mesma merda dia após dia, noite após noite, ano após ano? O homem é um ser abominável.





"Sou homem, depois desse falimento? Sou o que não foi, o que vai ficar calado. Sei que agora é tarde, e temo abreviar com a vida, nos rasos do mundo. Mas, então, ao menos, que, no artigo da morte, peguem em mim, e me depositem também numa canoinha de nada, nessa água que não pára, de longas beiras: e, eu, rio abaixo, rio a fora, rio a dentro — o rio." (Guimarães Rosa - A Terceira Margem do Rio)



 
"There's a haze above my TV
That changes everything I see
And maybe if I continue watching
I'll lose the traits that worry me

Can we fast-forward to go down on me?
Stop there and let me correct it
I wanna live a life from a new perspective
You come along because I love your face
And I'll admire your expensive taste
And who cares divine intervention
I wanna be praised from a new perspective
But leaving now would be a good idea
So catch me up on getting out of here"
(Panic At The Disco - New Perspective)

Nenhum comentário:

Postar um comentário