"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...

Ou toca, ou não toca." (Clarice Lispector)
"Eu me recuso a ser sócio de qualquer clube que me aceite como sócio." (Grouxo Marx)
"Repara bem no que não digo." (Leminski)
"Meu epitáfio será: Nunca foi um bom exemplo, mas era gente boa" (Rita Lee)

I am not but I am

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
essa metamorfose ambulante...

domingo, 3 de abril de 2011

Enxergar

Não preciso comentar sobre os bocados, né? Pra quê!?
Mas tem uma coisa que me aconteceu em especial. Não, eu não conheci ninguém, nem me amarrei em alguém... Enfim, eu estava chegando em casa, depois do colégio, e ainda dentro do ônibus, antes de ele dobrar mais outra esquina eu olhei para a parte de cima de um morro verde, e sabe que eu vi algo que eu jamais tinha parado pra prestar atenção!? E olha que eu moro aqui na Taquara há quase quatro anos. Então, eu não vi algo realmente extraordinário ou inacreditável, apenas uma antiguíssima casa de engenho, provavelmente abandonada, pois ela está com uma aparência horrível.
Depois que soltei do ônibus fiquei pensando nisso (de novo), nessas coisas que estão bem na nossa frente e a gente nunca vê, nunca dá a devida atenção. E quando dá já não faz a menor diferença.

É questão de olhar e enxergar, nada mais. Eu só precisava olhar pra frente.

Cheguei em casa, tomei banho e fui assistir a um filme que uma amiga me emprestou, "A cor púrpura". E por incrível, ou por mais idiota que pareça, esse filme só ressaltou o episódio que passei mais cedo. Quantas vezes mais vou ter que repetir que a vida é irônica e adora pregar peças?






"Tudo no mundo quer ser amado. A gente canta e dança e grita porque quer ser amada. Olhe as árvores. Elas fazem tudo o que a gente faz para chamar a atenção, menos andar."
(The Color Purple)

Nenhum comentário:

Postar um comentário