"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...

Ou toca, ou não toca." (Clarice Lispector)
"Eu me recuso a ser sócio de qualquer clube que me aceite como sócio." (Grouxo Marx)
"Repara bem no que não digo." (Leminski)
"Meu epitáfio será: Nunca foi um bom exemplo, mas era gente boa" (Rita Lee)

I am not but I am

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
essa metamorfose ambulante...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Coisas voadas


  Ano de vestibular e não estudei nada, no fim das contas, seja o que deus quiser. Vou para onde passar, não importa a posição, e amém. Ouço The Strokes todos os dias e me amarro. Também ouço The Smiths, Nirvana e Hole, e viajo no som e nas letras e nas vozes. Sempre que ouço Valerie da Amy Winehouse me lembro de alguém, é inevitável. Todo banho é hora de pensar na vida, mas o que é vida? Hoje em dia ser revolucionário é difícil, hoje em dia estar em qualquer lugar é uma prisão. Hoje em dia é um futuro abortado.
  Pensar em século XXI me lembra Capitalismo sanguinário. Pensar em século XX me lembra Guerras Mundiais. Pensar em século XIX me lembra República Oligárquica. Pensar em século XVIII me lembra Revolução Francesa. Pensar em século XVII me lembra Revolução Gloriosa. Pensar em século XVI me lembra Ato de Supremacia. E etc...
  É uma banalidade tão estúpida que chega a me comover. Nasce, cresce, reproduz e morre. E vive? Não sou cult e foda-se. Nunca ganhei estrela dourada na sala de aula, nem o chapéu do burro. Sempre liguei para os estudos, mas nunca me esforcei tanto. Vê-se os reflexos atualmente. Fico nervosa e esqueço tudo o que sei. Meu nome? Que diferença faz? Um dia voltaremos a comunicarmo-nos por ruídos e outros sons grotescos. Teu nome? Gosto de nomes, mas não fazem diferença.
  Hoje é quarta-feira, 2 de novembro de 2011, feriado no meio da semana é sempre tão cara de domingo... Sou estranha e gosto muito de coisas simples, mas isso não é uma regra, e mesmo que fosse, toda regra tem sua exceção, e mais: todas as regras foram feitas para serem quebradas. Não ligo pra religião, futebol e idade, são coisas idiotas e descartáveis. Também não ligo se você utiliza algum docinho ilícito (maconha, MDMA, cogumelos, LSD, DMT, metanfetamina, anfetamina, etc.) para relaxar, é idiota ligar, não que eu queira conviver com viciados. Aliás, ligo se for viciado e usar coisas mais pesadas (tipo crack, cocaína, etc.). Não ligo se você é hétero ou curioso. Mas ligo se for indeciso. Pra falar a verdade, ligar ou não ligar não faz diferença também.
  Hoje está frio, mas quem sabe como estará amanhã? Seu nome vive na minha boca e meus lábios estão ressecados. Gosto de vermelho, mas enjoei dessa cor no meu cabelo. Ainda assim, gostaria de ter uma ruiva agora. Mesmo assim, preferia ter você a qualquer outra pessoa. Se eu for pra Dourados, se eu for pra Pelotas, se eu sumir, se eu nunca mais der notícias, não deixe de me amar.
Não me divirto, não me interesso por outras coisas, as novidades são velhas, rir cansa. Só uma coisa tem me interessado, e não é sexo. É essa droga de vestibular me envelhecendo precocemente.
  Foda-se Simón Bolívar. Foda-se Rosseau. Foda-se Napoleão. Foda-se Jean-Baptiste Colbert. Foda-se Henrique VIII. Foda-se Hitler. Foda-se Mussolini. Foda-se Anne Boleyn. Foda-se D. Pedro I. Foda-se Mendel. Foda-se Bush. Foda-se Obama. Foda-se o Lula. Dane-se o mouro, o cristão, o católico, o judeu, o ateu, o espírita, o budista. Dane-se o preto, o branco, o mulato, até o cor-de-papel (lê-se: pardo). Dane-se o rico, o pobre, o burguês, o maconheiro, o favelado, o nerd, o poser... Dane-se o popular e o desconhecido. Não importa. Nada disso importa. Apenas uma coisa importa e para ela não dão a mínima. E não estou falando (pela milésima vez) de amor.
  E se o IDH for baixo demais, sempre haverá a África para consolo. Não que isso seja bonito ou digno. E se metade da população for analfabeta e miserável, sempre haverá um governo bonzinho o bastante para se preocupar com isso e dar conta do recado. E se Ditadura for a solução, sempre haverá Marte, Júpiter e outros. E se você ainda não for louco, ainda há tempo para se curar. E se estiver entediado e quiser tomar um porre, me ligue!
  Pensando bem... Não precisa nem ligar, apareça de uma vez. Pessoas que ligam e marcam, invariavelmente, furam o compromisso. E mesmo que não seja esse o caso, não ligue, simplesmente surja. Gosto de surpresas. E por favor, não seja do tipo de pessoa com incontáveis restrições, esteja apta a todo e qualquer tipo de loucura, das mais às menos bocós. Fale o que vier à cabeça, faça o que der na veneta. Siga seus instintos. Flua naturalmente. Isso importa.


"Stop
A vida parou
Ou foi o automóvel?"
(Carlos Drummond de Andrade)

Nenhum comentário:

Postar um comentário