"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...

Ou toca, ou não toca." (Clarice Lispector)
"Eu me recuso a ser sócio de qualquer clube que me aceite como sócio." (Grouxo Marx)
"Repara bem no que não digo." (Leminski)
"Meu epitáfio será: Nunca foi um bom exemplo, mas era gente boa" (Rita Lee)

I am not but I am

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
essa metamorfose ambulante...

domingo, 23 de maio de 2010

I'm a realist I'm a romantic I'm an indecisive piece of shit

Aqui vai um ridículo desabafo da minha vergonhosa e indigna vida pessoal "amorosa".



Alejandro Sanz:
Ay payita mía
Guárdate la poesía
Guárdate la alegría pa'ti


Shakira:
No pido que todos los días sean de sol
No pido que todos los viernes sean de fiesta
Tampoco te pido que vuelvas rogando perdón
Si lloras con dos ojos secos
Y hablando de ella

Shakira:
Ay amor me duele tanto

Alejandro Sanz:
Me duele tanto

Shakira:
Que te fueras sin decir a donde
Ay amor, fue una tortura perderte

Alejandro Sanz:
Yo se que no he sido un santo
Pero lo puedo arreglar amor


Shakira:
No solo de pan vive el hombre
Y no de excusas vivo yo.


Alejandro Sanz:
Solo de errores se aprende
Y hoy se que es tuyo mi corazón


Shakira:
Mejor te guardas todo eso
A otro perro con ese hueso
Y nos decimos adiós

Shakira:
No puedo pedir que el invierno perdone a un rosal
No puedo pedir a los olmos que entreguen peras
No puedo pedirle lo eterno a un simple mortal
Y andar arrojando a los cerdos miles de perlas


Alejandro Sanz:
Ay amor me duele tanto
Me duele tanto
Que no creas más en mis promesas

(Sharika - La Toruta)




Ya sé que no vendrás
Todo lo que fue
El tiempo lo dejó atrás

Sé que no regresarás
Lo que nos pasó
No repetirá jamás.
Mil años no me alcanzarán
Para borrarte y olvidar.
Y ahora estoy aquí
Queriendo convertir
Los campos en ciudad
Mezclando el cielo con el mar

Sé que te dejé escapar
Sé que te perdí
Nada podrá ser igual.

Mil años pueden alcanzar
Para que puedas perdonar

Estoy aquí queriéndote,
Ahogándome
Entre fotos y cuadernos
Entre cosas y recuerdos
Que no puedo comprender

Estoy enloqueciéndome
Cambiándome un pie por la cara mía
esta noche por el día
que nada le puedo yo hacer

Las cartas que escrebí
Nunca las envié
No quierás saber de mí.

No puedo entender
Lo tonta que fui
Es cuestión de tiempo y fe.
(Shakira - Estoy Aquí)




Remember all the things we wanted
Now all our memories, they're haunted
We were always meant to say goodbye

(Kelly Clarkson - Already Gone)




Estou mal e me sentindo uma estúpida, em suma, estou com nojo da minha pessoa, por ser tão otária e inúmeros motivos mais. Enfim. O que quero dizer, é que, por conta do estado débil e tosco em que me encontro não escreverei mais, esse é meu último post; não sei quando voltarei a mim, não sei quando minha inexistente capacidade de manter relacionamentos - etc - florescerá, se ela florescer, como disse ontem "capacidade inata do ser humano de se pôr a perder, incrível", tão incrível que nem eu consigo crer convicta nessa suprema incapacidade.
Bem, quero evitar escrever mais uma nevasca de textos nefastos, amargurados, tristes, que provavelmente me deixarão ainda mais nesse estado letárgico; também não sei se tenho como me pôr a perder mais, mas antes que me arrependa disso também... É.
Não quero mais lembrar de perfuma nenhum, de boca alguma, olhos, voz... Nada. Quero esquecer tudo, quero esquecer o que eu sinto e o que eu estava disposta a fazer, a sentir. Quero esquecer que essa coisa de gostar é real, pra mim não o é, afinal, não dá certo... Aliás, sequer chega a um ponto em que possa dar certo, nem isso. É ridículo. É vergonhoso. Não nasci pra isso. Não nasci pra gostar de nada nem ninguém. Nasci pra não ter sentimentos, eles são o pior mal que existe... Nada me fode tanto quanto/como.
Como a vida é irônica, a minha que o diga.



Até um dia aí, adeus.

2 comentários: