"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...

Ou toca, ou não toca." (Clarice Lispector)
"Eu me recuso a ser sócio de qualquer clube que me aceite como sócio." (Grouxo Marx)
"Repara bem no que não digo." (Leminski)
"Meu epitáfio será: Nunca foi um bom exemplo, mas era gente boa" (Rita Lee)

I am not but I am

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
essa metamorfose ambulante...

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Não aprendi

"Mania de esperar que as coisas sejam dum jeito determinado, por isso a gente se decepciona e sofre."

A crueldade é digna. Sabe como é, a vida é muito breve e eu choro pelo ano, mas por que? Não sou de ferro, nem malígna, muito menos impassível, como costumam dizer ou pensar. Apenas humana, com carne, osso, cabelo, atitude, altivez, esperança, burrice, todas essas coisas estúpidas que um ser humano no mínimo algum dia já teve eu tenho, só que não costumo me policiar e acabo por ter demais. Isso me esgota o ânimo. E tenho essa pequena coisinha de acreditar e idealizar mais do que deveria, quando nada sai como era esperado apenas prorrompo-me aos soluços, essa coisa de acreditar não é só acreditar, não é só pôr um pouco de esperança e esperar que se multiplique, é mais, e idealizar também não é tão fácil, idealizo com vontade. Mas então recebo a notícia de que não poderá ser de tal forma e não me sinto feliz em proceder dessa maneira, é caminho demasiado longo, como isso sucederá? Não perco as esperanças ou a burrice hereditária, nem deixo de fazer altas idealizações, contudo, continuo sem saber como lidar com a decepção quanto às mudanças de rumo que os planejamentos tomam por si mesmos. Me acostumo com certa ideia e então faço o possível para que tal ocorra, mas se ela não ocorre, se as coisas não tomam o rumo que deveriam tomar, se elas saem do controle, saio também, sinto o amargo. Não sei lidar com a perda. Não me ensinaram, não aprendi e tampouco tenho vontade para tal.


"Trata-se de uma decepção diferente: não tenho ódio nem vontade de chorar. Em compensação também não tenho vontade de mais nada."

3 comentários:

  1. Cara, fiz a porcaria de um blog por tua causa. Sinta-se honrada, agora sou mais um adolescente que passa horas na frente do computador.

    ResponderExcluir
  2. Hahaha! Adorei, as vezes eu penso que todo mundo tem esses tipos de pensamentos, que só aqueles que bebem demais, usam drogas são os que não pensam assim. Recentimente eu percebi que na verdade são os poucos que pensam dessa maneira, que não existe essas coisas de ' fase da vida ' ' crise ' ' decepção ' Porra, a vida é dura pra quem é mole. Quando se decepcionar é fácil e se manter alegre por mais de 5 minutos é dificil, o que você faz ?

    ResponderExcluir
  3. Eu faço o que faço.
    Os que bebem demais e também os que usam drogas também têm pensamentos como estes, por que não teriam? Bobagem pensar que não.

    Quanto a ter feito um blog "por minha causa", bem, se você acha isso ruim (até reclamou por ser mais um adolescente como tantos outros que passam horas na frente de um maldito computador), bem, se você acha isso ruim, então exclui essa porra! ahahah

    Abraço.

    ResponderExcluir